Solicite um teste

Logística e compliance no setor farmacêutico

02 SET 2019
02 SET. 2019 / por Isadora Soliani

Você sabia que a logística é um desafio para o setor farmacêutico? 

 

Pois bem, apesar do setor farmacêutico ser um dos mercados que mais faturam no Brasil, a logística ainda segue sendo um desafio para os empresas do meio. 

O presidente da CIMED (a quarta maior farmacêutica do Brasil) João Adibe, confirmou em uma entrevista para o canal de comunicação Panorama Farmacêutico, que este tem sido um grande desafio para sua empresa. Como solução para este problema, ele decidiu investir na criação de uma malha de distribuição, a fim de ter acesso mais rápido às regiões mais distantes do país. 

Neste artigo, iremos trazer algumas soluções de compliance para você aplicar em sua empresa e driblar com sucesso as dificuldades da logística. 

 

A logística farmacêutica no Brasil 

 

No Brasil, a logística farmacêutica tem um grande desafio dentro do território nacional, que é o de garantir a qualidade do produto ao longo do seu trajeto, em todas as regiões do país. Ou seja, o medicamento deve chegar ao consumidor com a mesma qualidade que deixou a fábrica. 

Muitos pensam que o processo de logística envolve apenas a chegada do produto/medicamento ao trajeto, mas o conceito é bem mais amplo e envolve tanto gestão quanto tecnologia. 

 

Qual o papel do compliance na logística?

 

O compliance é considerado um dos maiores aliados dos gestores responsáveis pela área de logística, não só do setor farmacêutico, mas no mercado como um todo. Afinal, a pressão em comandar uma equipe deste setor, contratar transportadoras, monitorar cargas e controlar resultados, é bastante alta. 

Tecnologia também é uma aliada no setor de logística

Logo, a tecnologia surge para apoiar o farmacêutico por meio da inteligência artificial, plataformas e softwares. O uso correto dessas ferramentas aliado à boas práticas de compliance, torna possível a automatização dos processos, o que poderá render ganhos em produtividade, redução de erros, maior confiabilidade das informações, redução de custos, entre outros benefícios. 

Uma empresa que utiliza práticas automatizadas de compliance a fim de monitorar seus processos constantemente, seja por meio de auditorias internas e externas ou pela fiscalização do cumprimento de leis e ética, demonstra o seu comprometimento como empresa, o que também melhora a imagem da marca no mercado. 

 

Duas práticas que podem ser adotadas no setor farmacêutico:

 

  • Criação de uma base para controle e organização do fluxo de dados: 

 

Um bom exemplo deste método é o controle e atualização do estoque, desde o momento que a mercadoria chega até o momento em que ela sai. 

Esse controle pode ser feito por meio de uma plataforma que irá reunir os dados de uma maneira organizada e de fácil acesso. Logo, o processo irá se tornar mais eficaz e menos maçante, pois dados dos mais diversos tipos estarão disponíveis para todos setores e isso facilitará a comunicação, controle, prevenção e gestão de riscos.  

 

  • Checagem de terceiros (fornecedores e transportadora):

 

Outro exemplo, de um método que pode ser adotado por meio de ferramentas e plataformas tecnológicas, é a checagem dos principais envolvidos na logística, neste caso, fornecedores e transportadoras.

Para encontrar transportadoras idôneas e assegurar a entrega dos produtos, é necessário realizar uma investigação a fim de prevenir a sua empresa de riscos e fraudes.

A investigação irá avaliar dados como: ficha cadastral, processos ou informações que possam demonstrar um possível conflito de interesse, e através dessa coleta fazer uma análise minuciosa do seu fornecedor ou transportador, antes de fechar o contrato.

 

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.