Solicite um teste

Fusões & Aquisições: a importância da due diligence como ferramenta de prevenção a riscos

12 JAN 2021

12 JAN. 2021 / por Rômullo Martins
Entenda o papel da due diligence nos processos de fusões e aquisições

O ano de 2021 já começou agitado no mundo dos negócios. A Fiat Chrysler (FCA) e a Peugeot-Citroën (PSA) anunciaram uma união de  proporções gigantescas. A negociação, que havia começado em 2019, terminou com a aprovação dos acionistas. Essa junção criará a quarta maior fabricante de automóveis do mundo, a chamada Stellantis. Só para se ter ideia, o valor de mercado combinado das duas fabricantes é de 62,7 bilhões de dólares. Fusões como essas impactam diretamente o setor da indústria automotiva, que somente no Brasil representa 4,5% do PIB (Produto Interno Bruto). 

Mercado Brasileiro e 2020

Um ano difícil marcado por crises, incertezas e pandemia. Com base no CNN Brasil, foram mais de 600 mil micro e pequenas empresas fechadas.

Contrariando este cenário, o movimento de fusões e aquisições no território brasileiro foi intensificado. Uma pesquisa realizada pela PricewaterhouseCoopers (PwC), uma das maiores empresas de auditoria e consultoria do mundo, divulgou que de janeiro a outubro foram registrados 802 transações, um aumento de 13% em relação ao mesmo período do ano anterior. 

Analisando por setor, tecnologia da informação se manteve na liderança com 305 transações. Esse número representa um aumento de 41%. Muito provavelmente a mudança de comportamento das pessoas e a aderência ao home office fizeram com que as empresas tivessem que se adaptar e ir atrás de soluções tecnológicas para proporcionar respaldo aos seus funcionários e atender este novo consumidor.

Por outro lado, as startups de saúde e higiene também tiveram grandes números. Em uma matéria publicada pela Valor Investe, estes segmentos apresentaram aumento de 136%. O momento pandêmico gerou também um aumento de mais de 4.000% somente nas vendas de álcool em gel segundo a Compre e Confie, o que consequentemente contribui para a alta deste segmento.

Todos esses movimentos contribuíram para que mais empresas fossem unidas ou compradas com intenção de aumentar o potencial de vendas.

Principais fusões e aquisições

Em um nível global diversas empresas fizeram movimentações importantes. Visualizando o crescimento do trabalho à distância, uma das empresas mais notáveis de software do mundo, a americana Salesforce comprou a plataforma de chat empresarial Slack por 27,7 bilhões de dólares. Também da área de TI, a Advanced Micro Devices (AMD),conhecida por fabricar processadores e placas de vídeo, adquiriu a empresa Xilinx em uma acordo de 35 bilhões de dólares em ações. 

No setor saúde, por exemplo, o Grupo NotreDame Intermédica (GNDI) anunciou a compra do Grupo Serpram, de Minas Gerais, por 170 milhões de reais, ampliando sua carteira de clientes.

Em sua terceira maior aquisição, a Locaweb, empresa brasileira de hospedagem de sites, comprou a plataforma de pagamentos online Vindi por 180 milhões de reais.

Há pelo menos duas coisas em comum que podemos observar em todas essas transações. 

De forma bem clara, pode-se ver o grande valor financeiro que é envolvido quando uma empresa se funde ou adquire outra. Outro ponto, não tão aparente, é a necessidade e importância de realizar uma due diligence antes de fechar um negócio.

Due diligence como ferramenta de prevenção

Pense em como seria adquirir uma empresa que está cheia de processos trabalhistas ou envolvida em casos de lavagem de dinheiro. Esse tipo de situação pode acontecer com uma frequência mais alta do que se imagina.

Certamente isso poderá causar grandes prejuízos para a organização em questão. Não somente no que tange o lado financeiro. A credibilidade, imagem e futuras negociações podem estar seriamente comprometidas, afinal, ninguém quer se relacionar com uma empresa envolvida com ações fraudulentas.

De fato nem todas as transações necessariamente precisarão de uma investigação profunda, mas devido ao aumento do número de atos ilícitos, ainda mais intensificados após os escândalos do caso Lava Jato, práticas investigativas se tornaram indispensáveis para toda e qualquer empresa. 

Como otimizar as buscas

Ter em mãos informações confiáveis e relevantes sobre pessoas físicas e jurídicas é essencial, no entanto esse processo não é tão simples. Identificar os sócios de uma empresa de pequeno porte e verificar os seus antecedentes pode ser simples, mas se formos pensar em uma multinacional com diversas pessoas relacionadas, isso se torna complexo. 

Em contrapartida, para otimizar essas checagens, muitas empresas têm investido em plataformas de mineração de dados. Como o próprio nome já sugere, essa tecnologia consiste em minerar dados da internet tornando as buscas muito mais rápidas e assertivas. 

O exemplo do upMiner

Inserido em organizações dos mais variados tipos, a plataforma upMiner tem ajudado profissionais de diversas áreas no processo de investigação e prevenção de riscos. Através de um número de CPF ou CNPJ, a solução tem acesso a mais de 1.900 fontes de consultas nacionais e internacionais que permitem gerar relatórios completos para análise e tomada de decisão. 

Ainda é possível realizar o monitoramento dos mesmos, verificando as mudanças ao longo do tempo. Com esses métodos otimizados, profissionais podem focar em ações mais estratégicas.

Dessa forma, seja no fechamento de uma nova parceria ou na aquisição de um bem, investigação é uma realidade cada vez mais presente no mundo corporativo.

Teste gratuitamente o upMiner e veja como ele pode auxiliar no dia a dia da sua empresa!


Comments

Share on activity feed

Powered by WP LinkPress