Solicite um teste

Due Diligence e upMiner: qual a ligação entre ambos?

18 AGO 2020

18 AGO. 2020 / por Isadora Soliani

Você sabia que a Due Diligence serve como uma “investigação” sobre pessoa física ou jurídica? 

Pois bem, seu intuito é garantir a idoneidade de candidatos a colaboradores, parceiros de negócios, investidores, fornecedores, transportadoras, entre outros. 

Ao realizar esse exame preliminar da vida profissional e integridade de um possível relacionamento, a empresa é capaz de antever riscos e evitá-los, tais como: responsabilização subsidiária por ilegalidade da pessoa física ou jurídica em questão, desperdício de recursos financeiros com turnover de colaboradores, fraudes, roubos, conflito de interesses e outros tipos de atos ilícitos comuns no universo corporativo.  

Um ponto importante em relação à esta prática é que ela deve ser realizada periodicamente ao longo do contrato de trabalho, não só apenas no momento que antecede a contratação. Afinal, muitas vezes o colaborador ou parceiro pode se envolver posteriormente em algum tipo de fraude, prejudicando grandemente a empresa se essa não for descoberta a tempo.

Mas, vale acrescentar que não são todos que devem passar por essa prática de monitoramento de informações. 

Quais tipos de colaboradores devem passar pela monitoria: 

  • Os que exercem algum tipo de cargo de representatividade para a empresa (realizam a publicidade da empresa, por exemplo); 
  • Os que possuem cargos de confiança (alta administração, por exemplo);
  • Os encarregados por funções estratégicas;
  • Aqueles que estão sob alvo de alguma denúncia ou apresentam algum tipo de comportamento inadequado. 

Como é realizada a Due Diligence? 

Essa “investigação” é feita através de informações relevantes sobre pessoa física ou jurídica, trazidas geralmente por uma plataforma de mineração de dados, de forma estruturada para facilitar a análise dos responsáveis pela tomada de decisão. 

Receita Federal, SPC Serasa, Antecedente Criminal (Polícia Federal), Ocorrência nos Diários Oficiais, COAF PEP, Banco Central, entre outras, são alguns exemplos de fontes bastante utilizadas na entrega de informações para a prática de Due Diligence ser realizada. 

A relevância e confiabilidade dessas fontes garantem uma maior assertividade aos processos que envolvem investigações, checagens, pesquisas e análises de terceiros. 

O papel do upMiner em Due Diligence

É uma solução tecnológica responsável por fornecer os dados em formato de relatórios analíticos personalizados, através de mais de 1900 fontes (nacionais e internacionais) confiáveis e atualizadas.

Tipos de processos que utilizam o upMiner:
  • Auditorias;
  • Compliance;
  • Checagem de Terceiros;
  • Due Diligence;
  • Prevenção à Lavagem de Dinheiro;
  • Busca por Conflitos de Interesse;
  • Onboarding Digital;
  • Segurança Eletrônica;
  • Gestão de Riscos;
  • Prospecção e Inteligência de Mercado;
  • Entre outros.

No caso da prática de Due Diligence, o upMiner tem um papel essencial, pois neste tipo de investigação deve ser analisado um número massivo de dados. Sendo assim, a plataforma é capaz de automatizar o processo e reduzir o tempo gasto na coleta e análise dessas informações.

Diminuição em custos operacionais, melhoria na qualidades dos dados, tomadas de decisões mais ágeis e assertivas são outras vantagens trazidas pelo upMiner.

Melhores aplicativos da plataforma para a prática de Due Diligence:

Dossiês

Aplicativo referência em práticas investigativas e um dos mais completos da plataforma, ele fornece um documento completo com informações valiosas de acordo com a necessidade de busca do cliente. Ou seja, o usuário seleciona quais fontes serão utilizadas na sua pesquisa.

Outros exemplos de fontes presentes: 
  • SPC Brasil;
  • Receita Federal;
  • D&B;
  • info4C;
  • Dow Jones;
  • O próprio banco de dados da upLexis.

Portanto, os dossiês são responsáveis por trazer dados relevantes que garantem um amplo conhecimento sobre o público de interesse, otimizando processos de tomada de decisão, controle, gestão e prevenção de riscos em empresas dos mais diversos setores.

Ficha Cadastral

É um aplicativo simples que detém um grande poder, pois é fundamental a verificação e descoberta de dados cadastrais em inúmeros processos dentro de empresas. Inclusive, na prática de Due Diligence.

Através da ficha cadastral, o usuário consegue ter em mãos informações como:

  • CPF ou CNPJ;
  • Dados de Contato: e-mail, telefone e endereço;
  • Pessoas ou empresas relacionadas à pessoa física ou jurídica;
  • Cheques sem Fundo;
  • Protesto;
  • Razão Social;
  • Situação Cadastral;
  • Natureza Jurídica;
  • Nome Fantasia;
  • Entre outras.
upLink

É uma solução poderosa para visualização gráfica de vínculos diretos e indiretos entre pessoas, empresas e grupos econômicos complexos.

Através da ferramenta, é possível observar relações entre sócios, representantes legais, parentes, vizinhos e correlacionados, bem como identificar o beneficiário final, pessoas politicamente expostas (PEP) e pendências financeiras.

upMatch

Voltado para a investigação de relações entre empregados e colaboradores, sócios e/ou parceiros de negócios, este aplicativo é um meio desenvolvido para identificar possíveis conflitos de interesse dentro de sua organização, com base no cruzamento de um grande volume de dados.

Quer saber mais sobre os outros aplicativos e quais outras práticas podem ser otimizadas através deles?

Entre em contato com nosso time comercial e solicite um teste gratuito. 

Não deixe de acessar também nosso mais novo e-book sobre compliance no setor da saúde!

Compliance no setor da saúde


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.