Solicite um teste

Como empresários escondem patrimônio de credores ou da Justiça?

06 OUT 2020

06 OUT. 2020 / por Isadora Soliani

Caso Lava Jato: políticos e empresários realizaram fraudes para “ocultar” seus bens da Justiça

Esconder bens de credores ou da justiça é considerada uma fraude grave. Geralmente, esta prática é realizada por grandes empresários envolvidos em escândalos maiores de corrupção ou lavagem de dinheiro para esconder o enriquecimento ilícito.

Um exemplo de caso famoso é o envolvimento de grandes executivos na Lava Jato, os quais aplicaram fraudes para dissimular os bens e evitar que os mesmos fossem apreendidos pela Justiça. 

Parte do dinheiro de propina vindo da corrupção na Petrobras e investigado pela Operação Lava-Jato estava escondido em espécie e outra parte foi “lavada” através da compra de casas, apartamentos, carros ou lanchas. Segundo um levantamento, foi possível recuperar cerca de R$ 76 milhões com o leilão dos bens descobertos, mas, para isto, foi necessário um trabalho árduo que envolvia a apuração de empresas laranjas, familiares e até mesmo divórcios ligados aos envolvidos. 

Empresários utilizam-se de diversos métodos para esconder os bens de credores e da justiça e por conta disto, as investigações estão se tornando mais extensas e complexas.

5 Principais fraudes aplicadas por empresários para esconder bens e imóveis 
1. Transferência de bens à laranjas:

Geralmente, os primeiros a serem investigados em casos de corrupção, lavagem de dinheiro e enriquecimento ilícito são os familiares. Mães, pais, filhos, tios e outros. Pensando nisto, os fraudadores tendem a utilizar pessoas que não são de sua família, denominadas “laranjas”, para passar os seus bens em forma de compra e venda comum. Dessa forma, fica mais difícil identificar a ligação entre ambos, eliminando a possibilidade de fraude pela justiça.

Porém, hoje em dia, com o avanço da tecnologia uma solução de mineração de dados é capaz de facilitar a identificação de uma possível ligação entre o “laranja” e o empresário. Afinal, apesar de não ser um familiar, o indivíduo geralmente faz parte da vida do fraudador. Podendo ser um ex-funcionário, um amigo próximo ou até mesmo uma pessoa jurídica.

2. Separação matrimonial ou alteração do regime de bens:

Neste caso, a fraude é realizada ao transferir os bens para o cônjuge que não está envolvido em atos ilícitos, alegando que os bens foram adquiridos durante o matrimônio.

Outra forma bastante utilizada é a de modificar o regime de bens para o de separação total, atribuindo os bens para o que tem o nome limpo.

As investigações para identificar os dois tipos de fraude envolvem a apuração de diversas documentações e até mesmo as redes sociais dos envolvidos.

Em um caso famoso, o empresário alegou separação e ainda publicava fotos com a esposa no Facebook utilizando aliança. Dessa forma, foi bastante fácil identificar a fraude e comprová-la através de prints.

3. Formação de holding patrimoniais para ocultar patrimônio:

Holdings são empresas autorizadas por lei a administrar bens e imóveis de um grupo empresarial ou familiar. Porém, elas têm sido bastante utilizadas para esconder patrimônio de empresários envolvidos em atos ilícitos como corrupção e lavagem de dinheiro.

Ao passar seus bens para a holding, o indivíduo dificulta as investigações. No caso de calote, se essa transferência é feita depois que a pessoa já tem a dívida, isso pode configurar uma fraude.

4. Doação ou transferência dos ativos para familiares ou empresas do grupo econômico:

Essa prática fraudulenta é uma das mais comuns e normalmente é bem fácil de ser identificada.

Se alguém com uma grande dívida ou que está sendo investigada decidi doar seus bens, faz total sentido que seja uma ação fraudulenta. Sendo assim, para atrapalhar a localização do patrimônio, a doação geralmente é feita com reserva de usufruto.

5. Criação de offshore e envio de dinheiro ao exterior: 

Offshore é um termo que diz respeito a criação de empresas no exterior. Elas são permitidas por lei, mas, têm sido bastante utilizadas por empresários fraudulentos para transferir o dinheiro fruto de crimes ou despistar a origem do mesmo.

Neste caso, é muito difícil para os credores ou a Justiça identificarem sócios de empresas que ficam em paraísos fiscais.

Como identificar bens, imóveis e até fraudes através da tecnologia?

Nos dias de hoje, com o avanço da tecnologia e a imensidão de informações disponíveis na web é possível fazer investigações mais completas e identificar fraudes de forma mais fácil ao optar por uma solução de mineração de dados.

Fornecer informações valiosas em formatos de fácil compreensão facilita o trabalho de diversas equipes, tais como:

  • Áreas de compliance;
  • Gestão e Prevenção de Riscos;
  • Onboarding Digital;
  • Recrutamento e Seleção;
  • Marketing e Vendas;
  • Inteligência de Mercado;
  • Business Intelligence.

Como neste artigo estamos falando no combate à fraudes, a solução de mineração de dados tem como principal função trazer informações sobre processos, bens e imóveis, sócios e possíveis relacionamentos conflituosos da pessoa física ou jurídica suspeita de algum ato ilícito. Dessa forma, credores e a justiça são capazes de descobrir o que estão procurando e tomar suas decisões baseadas em dados, ou seja, os mesmos ainda servem como provas legais contra o indivíduo fraudulento.

O upMiner: plataforma de mineração de dados com mais de 1900 fontes disponíveis

A solução foi desenvolvida para facilitar processos investigativos através de relatórios analíticos personalizados de acordo com a necessidade do cliente. Ou seja, o usuário pode selecionar as fontes de busca da sua pesquisa e também qual aplicativo faz mais sentido, dentro da plataforma estão presentes mais de 16 apps, dependendo do plano escolhido pela empresa.

No caso da busca por fraudes e relacionamentos conflituosos, os apps mais indicados dentro do upMiner são:

  • Dossiês;
  • Bens e Imóveis;
  • upLink.

Através do aplicativo Bens e Imóveis, credores, justiça e empresas que estão realizando investigações conseguem ter acesso ao patrimônio em nome de pessoa física ou jurídica em tempo real. Dessa forma, as decisões tomadas se tornam assertivas e uma possível fraude pode ser identificada de maneira mais ágil.

Os Dossiês são relatórios completos fornecidos pelo app que têm como intuito fornecer o máximo de informações possíveis, de acordo com as fontes escolhidas pelo usuário. Assim, a busca se torna mais abrangente e as chances de identificar alguma fraude se tornam maiores.

O upLink é um app mais focado na busca por conflitos de interesse e relacionamentos conflituosos entre sócios, pessoas físicas ou jurídicas. A sua principal característica é a fácil visualização que facilita a identificação de riscos.

Investir em uma ferramenta como o upMiner é essencial para otimizar processos de análises, checagens e investigações a fim de eliminar riscos e trazer mais transparências às organizações.

Quer saber mais sobre outras funcionalidades do upMiner?

Solicite um teste gratuito!

Manual de conhecimento de terceiros
Manual de conhecimento de terceiros

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.